contato@ultramedcampos.com.br
  Contato : (22) 2736 - 9350   

Truques naturais para evitar e aliviar a azia

azia

 

São raras as pessoas que nunca reclamaram de azia. O líquido que sobe pelo esôfago e provoca queimação costuma incomodar e, frequentemente, apela-se para remédios que possam aliviar o inconveniente. No entanto, há formas naturais de aliviar o problema, como lançar mão de chás específicos e evitar alguns tipos de alimentos.

A azia, que também é conhecida por pirose, acontece quando o conteúdo ácido do estômago sobe pelo esôfago. “Há uma sensação de queimação que pode chegar até na garganta”, explica a nutricionista Bruna Rafaella Faria, da clínica Estima. “É bem mais comum do que a gente imagina, até criança pode ter”, diz.

Veja abaixo o que dá para fazer para aliviar os sintomas.

Chá de espinheira santa: alguns chás neutralizam a acidez do estômago e as nutricionistas elegem o de espinheira santa como um “santo remédio” para a azia. “No meu ponto de vista é o melhor de todos. Vai reduzir dores do estômago e a acidez gástrica, além de ser cicatrizante”, diz Tânia Abreu, nutricionista esportiva e funcional. Já Bruna ressalta que grávidas – que costumam ter muita azia – devem passar longe desse chá, pois não é recomendado durante a gestação. É sempre bom lembrar que os chás não são substâncias isentas de efeitos colaterais, portanto, por segurança, as futuras mamães devem evitar o consumo.

Chá de hortelã: saboroso, esse chá também é digestivo e alivia a queimação. E a boa notícia é que está liberado para grávidas.

Chá de erva doce: a nutricionista esportiva explica que o chá de erva doce tem a capacidade de aliviar os sintomas indesejáveis da azia por auxiliar na digestão, e pode também ser consumido por gestantes.

Chá de camomila: erva queridinha de muitos, é também grande aliada no combate à azia. Um chá depois da refeição, além de melhorar a azia, vai diminuir gases e possíveis cólicas intestinais.

Gengibre: apesar do leve ardor, o gengibre é um excelente remédio para a azia. “Além disso, vai melhorar todo o trato gastrointestinal e tirar o enjoo”, diz Tânia. Bruna ressalta que, de quebra, o gengibre carrega propriedades anti-inflamatórias e antibióticas, e pode também melhorar dor de garganta e de cabeça.

Abacaxi: Tânia explica que, apesar de ácida, a fruta ajuda na digestão e, consequentemente, na azia. “Há uma enzima digestiva no abacaxi, a bromelina, além de anti-inflamatórios.” Ter o hábito de comer uma fatia de abacaxi depois das refeições pode ajudar a aliviar aquela queimação chata que insiste em aparecer.

Mamão: de acordo com Tânia, o mamão carrega outra enzima digestiva, a papaína, que é excelente para aliviar o desconforto, já que ajuda na digestão. E tem a vantagem de ser uma fruta excelente para muitas horas do dia, se encaixando bem no café da manhã ou em refeições principais.

Maçã e banana: Bruna conta que a maçã e a banana carregam antiácidos naturais que auxiliam na azia. Quando o desconforto vier, comer alguma das frutas pode ajudar, além de contribuir para o aporte diário de vitaminas.

Esperar duas horas para dormir: dormir logo após as refeições pode piorar os casos de azia. É preciso aguardar a digestão ser feita para se aninhar em posição horizontal, mesmo que seja apenas para um cochilo rápido. “De uma hora e meia a duas horas é o tempo ideal de espera”, diz.

Caminhar: como uma das causas da azia é justamente a má digestão, Tânia recomenda uma atividade simples – a caminhada. “Uma caminhada de 10 minutos ajuda na digestão. Pode até ser feita dentro de casa”, diz.

Melhor do que aliviar azia é evitar que ela apareça

Quem sofre com azia deve evitar uma série de alimentos que podem piorar a condição. “O que sempre falo é para evitar pimenta, chocolates, álcool, café – por causa da cafeína -, alimentos gordurosos, frituras, molho de tomate, condimentos como ketchup e mostarda, e embutidos como presunto, mortadela ou salame, pois contêm muita acidez”, explica.

Além disso, comer muito rápido pode atrapalhar a digestão e aumentar a chance de ter azia. “Começamos a digestão com a mastigação, pois o alimento vai chegar mais triturado no estômago e vai ajudar a ter uma digestão mais rápida”, explica Tânia.

Beber líquidos durante as refeições também é uma atitude condenada pelas nutricionistas. “O líquido vai diminuir a concentração do suco gástrico – que é ácido – e vai atrasar a digestão, o que aumenta a chance de ter azia”, diz Tânia.

Evitar fazer atividade física logo após as refeições também ajuda a não provocar esse incômodo. Espere o término da digestão para exercícios mais vigorosos. Lembre-se também que alguns tipos de frutas ácidas, como laranja, limão e acerola, podem causar o problema em algumas pessoas, mas isso é uma susceptibilidade individual. Se deu azia, evite!

Bruna ressalta que o jejum costuma andar de mãos dadas com a azia. “Evitar longos períodos sem comer é essencial. O ácido do estômago pode refluir e provocar os sintomas. Sempre recomendamos comer de três em três horas, para evitar esse acúmulo de ácido”, diz.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo